Buscar
  • associacao santiago

Tendinites, as dores do Caminho.

Uma lesão muito presente nos caminhantes a Compostela é a tendinite, que se descreve como uma tensão muscular e que pode criar problemas pequenos ou grandes. Costuma aparecer quando se acumularam vários quilómetros de Caminho.


Primeiro precisamos lembrar: Tendinite é sentida antes de ficar grave. Por isso treinar com a bota é importante. Se ela te causar tendinite inicial, eu desconfiaria muito da eficiência dela para te acompanhar. Não é a melhor bota ou o melhor tênis... é o melhor para você que deve ser analisado.

Inflamação nos tendões por esforço repetitivo


Um caminhante consciente sente o passo que está tendo. Caminhar sem atenção ao seu corpo é acelerar um carro desgovernado. Aí seu tendão inflama. E tendinites tiram peregrinos do Caminho.


O mais aconselhável para reduzir a inflamação e a dor é aplicar gelo na zona; deve interpor-se sempre entre a pele e o gelo um papel ou um tecido que impeça a criação de queimaduras. Quando a intensidade da dor aumenta, pode-se administrar um analgésico (como paracetamol) e aplicar uma pomada anti-inflamatória. Se a inflamação persistir é conveniente tomar um anti-inflamatório, que se administrará com o estômago cheio.


As ligaduras de compressão aplicam-se nos casos em que houver pequenas ruturas de fibras, e sempre consultando um médico e um fisioterapeuta, que poderão avaliar as possibilidades no que diz respeito ao resto do Caminho. As ligaduras de compressão aplicam-se nos casos em que houver pequenas ruturas de fibras, e sempre consultando um médico e um fisioterapeuta, que poderão avaliar as possibilidades no que diz respeito ao resto do Caminho.

Um tipo de tendinite muito frequente entre os peregrinos é a que ocorre no tendão de Aquiles, a qual afeta a parte traseira do calcanhar e pode chegar a ser muito dolorosa. Algumas das causas que a provocam e que devem evitar-se na medida do possível são fazer caminhadas prolongadas encosta acima e também utilizar calçado inadequado. Não deve utilizar-se um calçado que se cinja excessivamente ao tornozelo, dado que pressionaria diretamente o tendão, nem com calcanheiras demasiado moles. Aconselha-se o emprego de solas duras, sem sistemas de ar ou amortecimento no calcanhar e, no caso de se utilizar botas, com corte traseiro rebaixado.

Para minimizar o risco de lesões no tendão de Aquiles, na preparação ou treino prévio para fazer o Caminho não se deve esquecer a realização de exercícios que favoreçam o alongamento deste tendão, sempre aumentando a intensidade progressivamente. Isto é fundamental no caso de mulheres que costumam usar sapatos de salto alto na vida diária, visto que o calcanhar está habituado a um alongamento mínimo, daí que este tipo de tendinite derive, a maior parte das vezes, da diferença de altura do salto que calçamos, dado que a mudança para um calçado plano produz um maior alongamento do tendão, que se acentua, além disso, nos lances de subida.




É habitual que o incómodo ou dor comece de manhã com o corpo frio, podendo desaparecer durante a caminhada para voltar com maior intensidade no fim da etapa e uma vez concluída a mesma; por vezes, pode chegar a impedir a marcha, dado que se faz permanente.


Para aliviar a dor, pode-se colocar gelo e anti-inflamatórios, sempre sob supervisão médica. A visita a um fisioterapeuta é aconselhável para o tratamento das dores provocadas por uma tendinite deste tipo. Porém o mais importante é identificar o que desencadeou isso. O jeito de pisar? A pressa? O calçado errado?




51 visualizações